Blog

Aqui você encontra os textos que já escrevi.

“Me ajude
É como se as paredes estivessem desmoronando
Às vezes, sinto vontade de desistir
Nenhum remédio é forte o suficiente

Alguém me ajude
Estou rastejando dentro da minha pele
Às vezes, sinto vontade de desistir
Mas eu não posso
Não está no meu sangue

Mexendo no meu celular de novo, me sentindo ansioso
Com medo de ficar sozinho de novo, eu odeio isso
Estou tentando encontrar um jeito de relaxar, não consigo respirar, oh”

“In My Blood” – Shawn Mendes

          Quando falamos de ansiedade e depressão é muito comum as pessoas estranharem o uso da Psicoterapia para doenças que frequentemente deixam as pessoas se sentindo muito mal. É compreensível, no nosso mundo a tendência é procurarmos direto o meio mais rápido e supostamente mais eficiente para que aquilo passe logo, afinal, ninguém gosta de se sentir assim, não é nada agradável. O problema é que muitas vezes em casos de ansiedade e depressão apenas o remédio não é suficiente.

“Tentei beber até passar
Eu tentei jogar para o alto
Eu tentei dançar até passar
Eu tentei mudar isso com o meu cabelo

Eu estourei minha conta do cartão de crédito
Pensei que um vestido novo deixaria tudo melhor
Tentei trabalhar até passar
Mas isso só me fez ainda mais triste”

“Cranes In The Sky” – Solange

          Os remédios agem sobre a parte química do nosso corpo, certo? Para os casos onde o motivo da doença é apenas fisiológico, ou seja, o motivo se encontra apenas no corpo, somente o remédio já ajuda a pessoa a se sentir melhor. No entanto, a grande maioria dos casos costuma ser uma causa física misturada a algo psicológico ou somente algo psicológico. E isso é fácil de se observar. A pessoa no desespero de “fazer isso passar logo” ou de pelo menos se distrair um pouco dessa sensação, tenta várias coisas, muitos recorrem não só ao remédio como à bebida, sexo, ao celular, festas, comida e por aí vai. Mas quando, por exemplo, o efeito da bebida acaba, a pessoa volta a se sentir mal e por que isso acontece? Porque ela ainda não lidou com aquilo que está fazendo ela se sentir ansiosa ou deprimida. Com o remédio pode acontecer o mesmo, ele pode começar a não fazer mais efeito e aí é comum ver as pessoas em uma verdadeira saga atrás de algum remédio que “funcione”, mas deixa eu te dizer uma coisa? Provavelmente a pessoa não vai achar esse remédio milagroso.

          E não é que o remédio não sirva de nada, não é isso. Os remédios para depressão e ansiedade quando receitados por um bom psiquiatra podem ajudar e muito, a questão é que dificilmente eles ajudam sozinhos. O que tenho percebido ao longo dos anos e o que vários estudos comprovam é que o medicamento aliado à Psicoterapia tem mais chances de ajudar a pessoa a se sentir melhor quando comparado ao remédio agindo sozinho. Na Psicoterapia você vai se defrontar com aquilo que vem te causando incômodo, é nesse espaço que você vai ter oportunidade de lidar com isso, refletir e encontrar outras formas de se relacionar com esse incômodo, podendo até mesmo passar a ver isso que incomoda com outros olhos.

          Portanto, é importante sim tomar os remédios mas não utilizá-los como uma panacéia, como algo que sozinho vai curar todos os males. Dê uma chance à Psicoterapia, dê uma chance a você, com ajuda profissional você pode enfrentar o problema que te causa mal e voltar a se sentir bem.

Caso tenha ficado interessado nas músicas citadas durante o texto, abaixo você encontra vídeos delas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *